nibiru

2016 - presente

registro%20de%20performance%202016_edite

Existe um mito contemporâneo do fim dos tempos muito difundido via online sobre um planetoide que colidiria com o planeta Terra, extinguindo assim a vida como a conhecemos. Este corpo celeste é conhecido como Nibiru ou o Planeta X. Existem outras versões do mito de Nibiru que defendem que sua órbita é circundante ou transversal à órbita terrestre. Sendo assim, Nibiru de tempos em tempos se aproxima da Terra, mas não a toca. Pensar na força da presença que, mesmo com certa distância, afeta, atravessa, transforma o sujeito. Não é preciso que Nibiru danifique estruturas físicas para que a iminência de um fim possibilite espaço para se conceber a instauração de novas existências. O projeto Nibiru surge em 2016 como um projeto de arte relacional e se estende através do tempo agregando outras linguagens e camadas de significado. É uma ação que envolve a articulação de diferentes sujeitos, como produtores rurais e feirantes, agentes do sistema da arte e público. O projeto foi pensado para acontecer em diferentes espaços, tendo como estrutura essencial o fato de que o personagem Nibiru oferece ao público alimentos, adaptando-se o formato e particularidades de cada ação ao contexto na qual esta se realiza. 

As peças cerâmicas, máscaras, acessórios e cenários são produzidos pela artista especialmente para a ação dependendo das circunstancias de ativação da obra.

DSC_0481.jpg
DSC_0479.jpg
Arquivo_000 (1).jpeg

performance

Ativação do traje escultórico “Elementos em transição de Martina Nickel - Casa Musgo - Agosto de 2017 - Porto Alegre, Brasil

Performance A Árvore da Vida II - Festival Rasgo #Zero - Atelier Subterrânea - Julho de 2017 - Porto Alegre, Brasil

instalação

Esboço de projeto de instalação e sua materialização na exposição Semeadura e Cosmos

Espaço Ado Malagoli do Instituto de Artes da UFRGS - Setembro de 2019 - Porto Alegre, Brasil

dentro do atelier - práticas e poéticas em pintura

A artista Luísa Prestes abre as portas do seu atelier e compartilha o processo de construção de sua poética em pintura. Divide com o público um pouco de sua prática diária de atelier, além de pesquisas e interesses atuais. Tendo como pano de fundo imagens vibrantes de sua produção, é proposta uma imersão nesse espaço tanto concreto quanto conceitual.

Ficha técnica:

Concepção, roteiro e direção: Luísa Prestes

Filmagem: Luísa Prestes

Edição e montagem Luísa Prestes

Texto e narração: Luísa Prestes

Pintura e processo criativo: Luísa Prestes

 

Projeto contemplado pelo Prêmio Funarte RespirArte 2020 - Categoria Artes Visuais

Territórios imaginários

Projeto em trans linguagens que surge em 2019 a partir de uma série de pinturas. Nessa série, a artista desenvolve um processo lento de composição, buscando equilibrar sólidos geométricos de cores intensas, ao final sobrepostos pela representação de uma planta conhecida popularmente por suas propriedades medicinais ou uma PANC (planta alimentícia não convencional). A motivação desses trabalhos é, através da estrutura das formas geométricas, que sugerem espaços tridimensionais imaginários, criar um espaço simbólico de acolhimento, cura e respeito às subjetividades sensíveis às forças e formas da natureza. A criação de espaços de resistência através do afeto e dos saberes naturais e ancestrais. A valorização de um registro de existência além da racionalidade estéril de um sistema antropo-falo-logocêntrico. Essa série se desdobrou em outros experimentos de espaços de respiro diferenciados da vida cotidiana regida pela lógica da produção, como o mini documentário e instalação homônimos. 

Luísa  Prestes Pintura Calêndula Acrílica sobre tela 120 x 100 cm 2020
Luísa Prestes Pintura Dente de leão Acrílica sobre tela 30 x 60 cm 2019
Luísa Prestes Pintura Oliveira Acrílica sobre tela 30 x 40 cm 2019
Luisa Prestes Pintura Limiar Acrílica sobre tela 40 x 30 cm 2019
Luísa  Prestes Pintura Sem título Acrílica sobre tela 70 x 100 cm 2020
Luísa Prestes Pintura Sol Acrílica sobre tela 140 x 140 cm 2019
IMG_3059.JPEG
IMG_3055.JPEG
IMG_3068.JPEG
IMG_3063.JPEG
IMG_3056.JPEG
IMG_2983.JPEG

O mini documentário Territórios Imaginários é o registro do processo de produção de uma tela constituinte da série, atravessado pela fala da produtora agroecologista Franciele Bellé. Franciele é representante de umas das famílias mais tradicionais participantes da FAE (Feira dos Agricultores Ecologistas) de Porto Alegre. Sua família é referência no cultivo e difusão do conhecimento acerca das PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais). A entrevista acontece durante a feira agroecológica, tendo como plano de fundo os sons e interações convergentes neste ambiente vivo. A fala de Franciele, com sua sensibilidade e profundidade de seu conhecimento enriquecem e potencializam este experimento transdisciplinar.

 

Este projeto foi realizado entre agosto e setembro de 2020, com o financiamento do FAC DIGITAL RS - EDITAL Nº 01/2020 - UNIVERSIDADE FEEVALE / SEDAC RS

Pintura, roteiro, direção, captação de som e imagem e montagem: Luísa Prestes

Pintura

Luísa  Prestes Pintura Sem título Acrílica e bordado sobre tela 100  x  80 cm 2020
Luísa Prestes. Tríptico. Na parede da caverna dançam sombras.  Acrílica e óleo sobre papel. 63 x 29,7 cm. 2020
Luísa Prestes. Tríptico. Na parede da caverna dançam sombras.  Acrílica e óleo sobre papel. 63 x 29,7 cm. 2020
Luísa Prestes. Tríptico. Na parede da caverna dançam sombras.  Acrílica e óleo sobre papel. 63 x 29,7 cm. 2020
Luísa Prestes. (Tríptico)  Orfeu  no reino da  morte  não deve ver nua sua amada Acrílica e óleo sobre papel 63 x 29,7 cm 2020
Luísa Prestes. (Tríptico)  Orfeu  no reino da  morte  não deve ver nua sua amada Acrílica e óleo sobre papel 63 x 29,7 cm 2020
Luísa Prestes. (Tríptico)  Orfeu  no reino da  morte  não deve ver nua sua amada Acrílica e óleo sobre papel 63 x 29,7 cm 2020
Luísa Prestes. Pintura. Sem título Acrílica sobre tela 210 x 160 cm 2020
Luísa Prestes. Eu irei como Cavalo Louco Acrílica, óleo e grafite sobre tela 70 x 100 cm 2020
Luísa Prestes. Cavalo louco sonha seu destino Acrílica e grafite sobre tela 70 x 100 cm 2020
Luísa Prestes. Chuva de luz na montanha vazia II Acrílica e nanquim sobre papel 29,7 x 21 cm 2020
Luísa Prestes. Chuva de luz na montanha vazia Acrílica e nanquim sobre papel 21 x 29,7 cm 2020
Luísa Prestes. Díptico Técnicas de projeção astral Acrílica sobre tela 100  x  70 cm 2021
Luísa Prestes. Vigília Acrílica sobre tela 75 x 75 cm 2021
Luísa Prestes. Pintura. Zanskar Acrílica sobre tela 71 x 87 cm 2021
Pela fissura na pedra a Pitonisa conhece o fundo segredo da Terra Acrílica e grafite sobre tela 80  x  120 cm 2021